Nossa Senhora Aparecida – 12/10

CONTEXTO HISTÓRICO

Historicamente vamos nos situar hoje nos anos 1700, em terras brasileiras. Em Portugal o rei era Dom João V. De 1500 a 1700 calcula-se que cem mil portugueses tenham vindo procurar riquezas no Brasil. Só no século XVIII teriam vindo outros seiscentos mil portugueses, atraidos pela extração de ouro nas Minas Gerais.

A balança comercial portuguesa estava cada vez mais fraca e dependente das riquezas das terras brasileiras. A Coroa portuguesa tratou de agir buscando controlar, aos poucos, aquela área. Instituiu, em 19 de abril de 1702, o Regimento do Superintendente Guarda Mores e Oficiais para as Minas de Ouro, estabelecendo a autoridade real na administração da atividade mineradora.

Uma das viagens dessas autoridades proporcionou o início de mais uma demonstração de fé e da presença de Deus no meio do seu povo: a devoção do povo brasileiro a Nossa Senhora Aparecida.

A FESTA

Nossa_Senhora_AparecidaCom muita alegria celebramos hoje, solenemente, o dia da Protetora da Igreja e famílias brasileiras: Nossa Senhora Aparecida. Tudo começou em 1717.

Padre José Alves Vilela foi Vigário de Guaratinguetá de 1725 a 1745. Ele conta da seguinte forma o início da devoção a Nossa Senhora Aparecida:

“Na segunda quinzena de outubro de 1717, passando por esta vila de Guaratinguetá para as Minas, o Governador delas e de São Paulo, o conde Assumar, Dom Pedro de Almeida, foram notificados pela Câmara os pescadores, para apresentarem todo o peixe que pudessem haver para o dito Governador.

Entre muitos, foram pescar Domingos M. Garcia, João Alves e Filipe Pedroso, em suas canoas. E principiando a lançar suas redes no porto de José Corrêa Leite, continuaram até o Porto de Itaguaçu, distância bastante, sem tirar peixe algum. E lançando neste porto João Alves a sua rede de arrasto, tirou o corpo da Senhora, sem cabeça; e lançando mais abaixo outra vez a rede, tirou a cabeça da mesma Senhora, não se sabendo nunca quem ali a lançasse.

Guardou o inventor esta imagem em um tal ou qual pano; e continuando a pescaria, não tendo até então tomado peixe algum, dali por diante foi tão copiosa a pescaria em poucos lanços, que receosos os companheiros de naufragarem pelo muito peixe que tinham nas canoas, se retiraram a suas vivendas, admirados deste sucesso.

Filipe Pedroso conservou esta imagem seis anos, pouco mais ou menos, em sua casa, perto a Lourenço de Sá; e passando para a Ponte Alta, ali a conservou em sua casa, nove anos, mais ou menos. Daqui se passou a morar em Itaguaçu, onde deu a imagem a seu filho Atanásio Pedroso, o qual lhe fez oratório tal e qual; e em um altar de paus colocou a Senhora, onde todos os sábados se ajuntava a vizinhança a cantar o terço e mais devoções.

Em uma destas ocasiões se apagaram duas luzes de cera da terra repentinamente, que alumiavam a Senhora, estando a noite serena; e querendo logo Silvana da Rocha acender as luzes apagadas, também se viram acesas, sem intervir diligência alguma; foi este o primeiro prodígio.”

Isso é o que nos conta Padre José Alves. Com o tempo mais e mais pessoas vinham procurar a Senhora. Construiu-se então uma capelinha. Quando ela já era pequena para a quantidade de pessoas que chegava, construiram outra capela maior. A igreja que hoje conhecimentos como “basilica velha” foi inagurada em 24 de junho de 1888.

Em 28 de outubro de 1894 chegaram os primeiros padres para trabalhar em Aparecida, a pedido de Dom Joaquim Arcoverde, na época bispo da diocese de São Paulo. Eram redentoristas, congregação que continua até hoje responsável pela paróquia.

No dia 8 de setembro de 1904, o bispo de São Paulo, Dom José Camargo Barros, coroou a Imagem de Nossa Senhora Aparecida com uma coroa oferecida pela Princesa Isabel. Em 1929, no encerramento do Congresso Mariano, Nossa Senhora Aparecida foi proclamada Rainha do Brasil. Em 31 de maio de 1931, a imagem foi levada ao Rio de Janeiro, para receber as homenagens oficiais da nação brasileira, com a presença do Presidente Getúlio Vargas. Nossa Senhora foi aclamada então por todos como “Rainha e Padroeira do Brasil”. Em 1958, a cidade da Aparecida foi elevada a arcebispado, sendo seu primeiro arcebispo o cardeal Mota.

A basilica atual foi consagrada pelo papa João Paulo II no dia 4 de julho de 1980.

ILUMINAÇÃO BÍBLICA EM NOSSA VIDA

A história de Nossa Senhora Aparecida nos faz voltar a um dia em que Jesus se encontrava à beira do Lago de Genesaré. Aconteceu aí a cena que podemos ler em Lucas 5, 4-10. Simão Pedro e seus companheiros haviam tentado pescar durante a noite, mas não conseguiram apenhar peixes. Jesus sobe ao barco de Pedro e manda lançar as redes. Mesmo duvidando que pudesse pescar alguma coisa, Pedro obedece. E acontece o milagre: pesca tanto peixe que pede ajuda aos companheiros e, mesmo assim, os barcos correm o risco de afundar. Diante da supresa e admiração de Pedro, Jesus disse a ele: “Não tenhas medo! De agora em diante serás pescador de gente” (Lc 5,10).

E hoje, dia de Nossa Senhora Aparecida, nos recordamos também da grande pesca acontecida em 1717, no Rio Paraiba, em Aparecida. No rio Paraiba, da mesma forma que no Lago de Genesaré, a pesca milagrosa foi o começo de uma jornada grande de conversões. Quanta gente, ao longo de todos esses anos, foi pescada para o Reino de Deus, após a pesca milagrosa!

Deixe uma resposta