Santo Alexandre Sauli – 11/10

CONTEXTO HISTÓRICO

O contexto histórico de hoje está entre 1534 e 1592. Na Espanha, reinava Carlos V como imperador do Sacro Império Romano Germânico. Nesta época, quase sempre, crises religiosas desaguaram em conflitos políticos. Diversas foram as guerras de religião, principalmente na França e na Alemanha.

Os homens lutaram pelo poder, mesmo que, aparentemente, as causas das desavenças tenham sido apresentadas como religiosas. De qualquer forma, todos esses problemas afetaram o mundo cristão, pois houve um ódio religioso separando e colocando pessoas em luta. Lutero combatia a Igreja de Roma, e suas idéias estavam começando a penetrar na França. Desde 1562 e durante 30 anos, a religião foi usada como pretexto para a França brigar com a Alemanha.

Enquanto isso, em Roma, Pio V dizia: “Não se prega a religião no sangue.” Gregório XIII, que o sucedeu, se incomodava com erros descobertos no calendário em uso. Em 24 de fevereiro de 1582, uma bula papal decidiu que, depois do dia 4 de outubro de 1582 viria o dia 15 de outubro. Implantou-se assim, no mundo católico, o calendário gregoriano, acertando 10 dias no calendário anterior.

No meio dessas disputas pelo poder, nasceu alguém que abdicou totalmente de todo poder a que teria direito, naturalmente, deixando de ser servido para servir.

O SANTO

Alexandre_SauliAlexandre Sauli nasceu no dia 15 de fevereiro de 1534, em Milão, Itália. Sua família era nobre, rica e poderosa. Dela tinham saido senadores e diversos administradores políticos. Era também muito ligada ao poder religioso.

Alexandre sempre sentiu o desejo de se dedicar à vida religiosa. Teve oportunidade de seguir brilhante carreira na corte de Carlos V, imperador do Sacro Império Romano Germânico, que estendeu seu poder também pela América. Ele recusou tais honrarias, para seguir sua vocação religiosa.

Aos dezessete anos de idade entrou para Colégio do Clero Regular de São Paulo, da igreja de São Barnabé, em Milão. Este colégio era tradicionalmente frequentado por pessoas de sua família. Alexandre resolveu, então, de maneira definitiva, tornar-se um fiel seguidor de Cristo.

Foi ordenado sacerdote e tornou-se professor dos jovens que se preparavam para serem barnabitas. São Carlo Borromeo, nesta época bispo de Milão, fez de Alexandre teólogo e decano da Faculdade Teológica de Pávia.

Quando fez 35 anos, em 1565, foi eleito Superior Geral da Ordem. Tinha bem desenvolvido o dom do Conselho, o que o levou a se tornar conselheiro e orientador espiritual de muita gente, incluindo pessoas ilustres na política e na igreja. Foi conselheiro do próprio bispo, São Carlo Borromeo.

Em 1567, foi nomeado Bispo de Aléria, na ilha de Córsega, França. Foi um grande desafio para ele, pois a diocese estava muito carente. Não havia locais decentes para os cultos; o clero era pobremente preparado para sua missão; o povo se perdia em pouco conhecimento e muita supertição. Mas Alexandre encarou o desafio e trabalhou arduamente durante vinte e um anos. Preparou pessoalmente seu clero; administrou conflitos de famílias importantes; e, principalmente, foi exemplo de uma vida plena de santidade. Sua diocese tornou-se modelo de organização e de devoção.

Após esse trabalho em Aléria, foi nomeado bispo de Pávia, pelo Papa Gregório XIV, de quem fora diretor espiritual e confessor. Mas nessa época, ao deixar a Córsega, Alexandre já não estava bem de saúde. Ao longo dos anos anteriores ele levara uma dura vida de penitências, privações e mortificações. Mesmo assim, ele iniciou sua visita pastoral em sua nova diocese.

No dia 11 de outubro de 1592 ele estava em visita à cidade de Calosso d’Asti. Aceitou hospedar-se em uma casa de um rico senhor local. Mas adormeceu junto aos trabalhadores, na estrebaria de animais. E ai mesmo, nesse mesmo dia, ele morreu.

Seu corpo foi transferido e sepultado na Catedral de Pávia, Itália. Em 1904, o Papa Pio X o canonizou. Passou a ser conhecido como “apóstolo da Córsega” e venerado como Padroeiro dessa ilha.

ILUMINAÇÃO BÍBLICA EM NOSSA VIDA

Santo Alexandre Sauli optou para deixar a corte e seu luxo, para viver a serviço de Deus na simplicidade e na pobreza. Ele nos lembra quando Jesus, referindo-se a João Batista, disse o que se encontra registrado em Lucas 7, 24-26: “Quando os mensageiros de João foram embora, ele começou a falar de João ao povo: “O que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Mas, então, o que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Ora, os que se vestem com roupas preciosas e vivem no luxo estão nos palácios dos reis. Então, o que fostes ver? Um profeta? Sim, eu vos digo, e mais do que um profeta.”

Alexandre Sauli abandonou a corte para se tornar profeta, preparando os caminhos do Senhor, que caminha no meio de seu povo. Tudo conforme disse Jesus em João 14, 6: “Jesus respondeu: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.”

Deixe uma resposta