São João Leonardo – 09/10

CONTEXTO HISTÓRICO

Nosso contexto histórico de hoje fica entre 1540 e 1610. Iniciou-se o Concílio de Trento, buscando identidades, algumas meio esquecidas pelo tempo e outras balançadas com a Reforma Protestante.

Em terras brasileiras tivemos a fundação das cidades de São Paulo, em 1554, e do Rio de Janeiro, em 1565. Novos povos, novas pessoas, novas necessidades de evangelização, pois a messe é grande e ainda continua crescendo.

Os Jesuitas chegaram ao Brasil, às Indias, ao Japão, à China, às Filipinas. E foi nesse contexto que nasceu São João Leonardo. Nasceu um grande homem, um grande missionário, com visão de mundo, pois vê bem além das fronteiras européias.

O SANTO

Joao_LeonardoJoão Leonardo nasceu em Diecimo, perto de Lucca, região Toscana, na Itália, em 1541. Foi o sétimo filho de Tiago e Joana Lippi. Ainda jovem, foi para Lucca, com a finalidade de aprender a arte de farmacêutico. Seguiu, pois, essa profissão, a mesma de seu pai.

Mas é interessante que, vivendo em Lucca, longe dos pais, com boa situação financeira, tenha sido atraido para uma vida cristâ intensa, com muita oração e com efetiva assistência a pobres. Tendo participado do trabalho junto aos pobres com os padres colombinos, abandonou sua profissão de farmacêutico aos vinte e seis anos e, sob a direção espiritual do dominicano Bernardini, iniciou estudos eclesiásticos. Tornou-se sacerdote em 1571, aos trinta anos.

O bispo lhe confiou a igreja de são João de Magione, onde pode iniciar outra de suas aspirações: fundou uma escola, “Companhia da Doutrina Cristã”. O sucesso foi grande e ele logo recebeu o apoio de amigos. Animado, fundou em 1574 a Congregação dos Padres Reformados que, em 1614, recebeu a denominação definitiva de Clérigos Regulares da Mãe de Deus, com sede junto à igreja de Santa Maria da Rosa. Trabalhavam educando jovens e promovendo, entre eles, a experiência de uma vida verdadeiramente sacramental.

Contudo, muitos começaram a pensar que, por trás de todo o seu esforço e dedicação, havia na verdade um espião da Inquisição. Isso porque ele teve a coragem de pregar e sustentar a necessidade da prática genuina do Evangelho, quando o mundo vivia uma época de decadência geral dos bons costumes. Ele pagou sua dedicação com muito sofrimento.

Viu-se, então, obrigado a passar por um exílio em Roma. Mas era providência divina, pois teve oportunidade de conviver com São Felipe Neri, com o sábio cardeal Barônio e com São José Calasans. Recebeu do papa missões especiais em Nola, em Nápoles e em Montevergine, para levar, com sua sabedoria e caridade, a necessidade de os mosteiros retomarem a antiga disciplina, o verdadeiro espírito religioso.

Impulsionado pelo zelo missionário, pensou e programou, junto com o espanhol Vives, uma congregação de sacerdotes que se dedicassem à propaganda da doutrina cristã entre os infiéis. Fundou, então, em Roma, em 1627, o colégio da “Propaganda fide”, ou “Obra da Propaganda da Fé”, para formar e enviar padres para terras distantes, terras de missões, e para assistir vítimas da peste. Essa obra existe ainda hoje, e é uma das quatro obras pontifícias missionárias, ou seja, conduzidas diretamente pela Santa Sé, em Roma. Participou também da fundação da obra dos Missionários Exteriores de Paris, em 1663.

Seus últimos anos de vida foram em Roma, onde morreu no dia 8 de outubro de 1609. Beatificado em 1861, foi canonizado em 17 de abril de 1938, pelo papa Pio XI. Foi uma das figuras mais marcantes da Igreja no século XVI.

ILUMINAÇÃO BÍBLICA EM NOSSA VIDA

São João Leonardo foi um missionário incansável, consumindo-se por amor ao seguimento de Jesus. Assimilou em seu coração as palavras de 1 João 3, 18-19: “Meus filhinhos, não amemos com palavras nem de boca mas com obras e verdade. É assim que conheceremos que somos da verdade e nosso coração nele descansará tranqüilo.”

São João Leonardo foi forte, na fé e nas obras. Ele acreditou do jeito que lemos em João 14, 11-12: “Crede em mim: eu estou no Pai e o Pai em mim. Crede ao menos por causa dessas obras. Na verdade eu vos digo: quem crê em mim fará também as obras que eu faço. E fará maiores ainda do que essas, porque eu vou para o Pai.”

Deixe uma resposta