Nossa Senhora do Rosário – 07/10

CONTEXTO HISTÓRICO

Nos conventos medievais existiram muitos irmãos leigos que tiveram muita dificuldade para recitar o Saltário, por terem pouca familiaridade com o latim, lingua em que eles eram rezados. Para facilitar a vida desses irmãos, eles eram dispensados do Saltério e compensavam recitando Pai Nossos. Para contar a quantidade de Pai Nossos rezados, o Doutor da Igreja São Beda, o Venerável (séc. VII-VIII), sugeriu que se enfiassem grãos em um barbante, que iam sendo passados à medida que se rezava.

A história também nos conta que, nesse mesmo período medieval, os vassalos homenageavam seus senhores com coroas de flores. Por isso o rosário surgiu com o significado de uma guirlanda de rosas, oferecida a Nossa Senhora pelos seus fiéis devotos, como sinal de seu profundo amor.

É ainda na história que encontramos Maria aparecendo a São Domingos, em 1328, indicando-lhe o Rosário como instrumento de conversão. “Quero que saiba que a principal peça de combate tem sido sempre o saltério Angélico (Rosário), que é a pedra fundamental do novo testamento. Assim quero que alcances estas almas endurecidas e as conquiste para Deus, com a oração do meu saltério”.

A partir daí, os dominicanos passaram a promover essa devoção, até mesmo criando confrarias do Rosário. Aos poucos ela se tornou a oração popular por excelência, uma espécie de breviário do povo, para ser recitado à noite em família.

A FESTA

Nossa_Senhora_RosarioA celebração da festa de Nossa Senhora do Rosário foi instituída justamente por um dominicano, o papa Pio V, para comemorar a vitória de 1571, em Lepanto, contra a frota turca. Por isso, inicialmente dizia-se Festa de Santa Maria da Vitória.

A festividade do dia 7 de outubro, que naquele ano caía no domingo, foi estendida, em 1716, à Igreja universal e fixada definitivamente por são Pio X, em 1913. Festa do Santíssimo Rosário, assim ela passou a ser chamada até a reforma do calendário, em 1960, quando passou a Festa de Nossa Senhora do Rosário.

O Rosário passou a ser a forma de oração mais popular entre as famílias religiosas, principalmente à noite, em suas casas. Ele é formado pelas duas orações básicas do catolicismo: o “Pai Nosso”, ensinada pelo próprio, e a “Ave Maria”, nascida da saudação do Anjo Gabriel na anunciação e das palavras de sua prima Isabel.

Esta devoção continua recebendo da Igreja as melhores referências e reverências. Ela simboliza hoje, após a última modificação feita pelo papa João Paulo II, uma grinalda de 200 rosas (daí o nome Rosário) oferecida Maria. É rezada em quase todas as línguas, foi recomendada e incentivada por diversos papas, e é uma singela e poderosa oração em que, por meio de Maria, muitas graças são alcançadas. A própria Mãe Maria, em suas aparições, recomendou sua recitação.

Enquanto rezado, leva à meditação sobre os mistérios da vida de Jesus em nosso meio. Nas palavras de Schillebeeckx, “enquanto se prossegue na doce e monótona cadência das ave-marias, o pai ou a mãe de família pensa nas preocupações familiares, no menino que atendem, ou nos problemas provocados pelos filhos mais velhos. Este emaranhado de aspectos da vida familiar sofre então a iluminação dos mistérios salvíficos de Cristo, e é espontâneo confiar tudo à Mãe do milagre de Caná e de toda a Redenção” .

ILUMINAÇÃO BÍBLICA EM NOSSA VIDA

Vamos repetir, cada vez mais, as palavras do Anjo Gabriel, conforme Lucas 1, 28: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”

E também as palavras de Isabel, conforme Lucas 1, 42: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!”

Deixe uma resposta